Assinatura RSS

Arquivo da categoria: Especial

30 dias de roupa nova: moda, comércio e estilo no Maior São João do Mundo

Publicado em

Apresentação: Esta reportagem foi feita à várias mãos e produzida originalmente para o projeto Repórter Junino, do curso de Comunicação Social (habilitação Jornalismo), da Universidade Estadual da Paraíba, onde sou professora. O projeto é desenvolvido todos os anos no período junino para celebrar jornalisticamente esta que é a maior festa popular do Nordeste, comandado pelo professor Fernando Firmino. Resolvemos publicar o material na integra por aqui também para divulgar ainda mais esse trabalho, do qual temos muito orgulho. Um exercício que mostra, dentre outras coisas, que é possível produzir conteúdo jornalístico de moda com qualidade. Parabéns à equipe, que está creditada no final do post. Boa leitura!

Foto: Emanuel Messias

Foto: Emanuel Messias

Quem anda pelos caminhos do Parque do Povo nesses dias de festa não pode deixar de reparar no visual caprichado de homens, mulheres e até mesmo crianças. E não é só nos grandes centros que isso se percebe, em comemorações de bairro e em cidades pequenas, festa de rua significa roupa nova. Para a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), os festejos juninos representam um aumento nas vendas de cerca de 30% em relação ao mesmo período do ano passado.

O São João de Campina Grande trouxe consigo uma grande expectativa de vendas na linha de roupas e acessórios. “É nesta época em que a população de Campina Grande costuma procurar com maior intensidade as lojas de roupas, calçados, alimentação e também serviços como salões de beleza e postos de combustíveis”, diz Hilton Motta Filho, presidente da CDL. A vendedora Vanessa afirma que esse aumento se compara às vendas do período Natalino, sendo os dois melhores períodos de comércio. Para os clientes, a vaidade é o fator que mais contribui para esse aumento. “A aparência é importante, onde chegamos as pessoas nos definem e julgam de acordo como estamos vestidos, é bom estar bem vestido para transparecer uma boa imagem”, diz a estudante Karolyne Cartaxo.

É feito um alto investimento nesse comércio nessa época. Uns compram por necessidade, mas, a grande maioria está alimentando sua vaidade, inclusive os homens. Atualmente não só as mulheres estão gastando em vestuário. O comprador Igor Silveira, 22 anos, acha que os homens se importam sim com as vestimentas, mesmo muitos não admitindo esse interesse. São as festas juninas promovendo a moda e o comércio da região.

P&B e Top Cropped são os grandes hits do São João

Como acontece nos grandes desfiles de moda, as ruas do Parque do Povo ficam cheias de tendências durante o período junino. Este ano não está sendo diferente, e algumas modas queridinhas das mulheres fazem a cabeça e os pés das frequentadoras da festa. Desta vez, o binômio preto e branco aparece por todos os lados, acompanhado dos top croppeds e de sapatos de salto flutuante. A dupla formada pelo preto e pelo branco vem de forma moderna e é vista em todos os lugares, “seja com listras ou em quadriculados, em outras estampas, ou então em um look como um todo” como aponta a consultora de moda Ceicinha Figueiredo.

Mas não se deve deixar levar por essa tendência sem antes analisar se ela serve para você. Mesmo sendo uma moda clássica e democrática, existem as suas exceções. Calças listradas, por exemplo, para meninas de quadril largo, por mais que sejam listras verticais, que têm tendência a emagrecer, acabam destacando os volumes, ou seja, deve haver moderação no uso desse duo, como explica a consultora.

Looks em P&B montados por Ceicinha Figueiredo na loja Hering

Looks em P&B montados por Ceicinha Figueiredo na loja Hering

O preto e branco foi eternizado pela estilista Coco Chanel – que foi a responsável pela grande revolução no vestuário feminino em meados da década de 1920 – principalmente por meio das estampas conhecidas por pied-de-poule e pied-de-coq, que ficaram famosas no mundo todo. Pied-de-poule, que é a estampa menor, traduzido do francês seria pé de galinha, e ganhou esse nome por realmente parecer uma pegada de galinha, enquanto o pied-de-coq, a estampa maior, é pé de galo, por parecer uma pegada de galo. Ou então nas listras, que tanto gostava.

Pied-de-poule, a estampa menor

Pied-de-poule, a estampa menor

Pied-de-coq, estampa maior

Pied-de-coq, estampa maior

Coco Chanel usando listras

Coco Chanel usando listras

E no Parque do Povo, algumas mulheres usando as listras.

Fatima Feitosa, Mari Oliveira, Andreza Lima e Simone de Almeida usam a tendência

Fatima Feitosa, Mari Oliveira, Andreza Lima e Simone de Almeida usam a tendência

Luana Larissa, Ana Luiza e mãe e filha, Patrícia e Evillyn

Luana Larissa, Ana Luiza e mãe e filha, Patrícia e Evillyn

Outra tendência que está ocupando a cabeça das mulheres no Parque do Povo é o Top Cropped. Popularizado nos anos 90, volta agora com uma diferença: não se mostra o umbigo. A peça atual consiste em um top ou blusa curta, usado com calça, saia ou shorts de cintura alta, cobrindo o umbigo, para não parecer vulgar. É uma grande aposta do verão 2013 por causa do nosso clima, e deve ser usado em lugares informais. Vai bem também com saltos, que deixam a produção mais elegante.

 

As estudantes Larissa Gomes e Thayla Brenda Silva usaram Top Cropped no Parque do Povo

As estudantes Larissa Gomes e Thayla Brenda Silva usaram Top Cropped no Parque do Povo

Gabriele Rocha decidiu usar Top Cropped e listras P&B em um único look

Gabriele Rocha decidiu usar Top Cropped e listras P&B em um único look

Salto fantasma, será que essa moda pega?

Você já pensou em usar um sapato de salto alto, mas sem o salto? Sim, isso existe, e se chama salto phantom ou salto fantasma. Queridinho de várias fashionistas ao redor do mundo, o salto fantasma consiste em um sapato sem salto, mas com uma meia-pata avantajada e surgiu em 2001, quando Antônio Berardi criou sapatos sem salto aparente. Mas a sua popularização só aconteceu realmente dez anos depois, em 2011, quando a excêntrica cantora Lady GaGa usou sapatos criados pelo designer japonês Noritaka Tatehana, que chegavam a 25 centímetros de altura. Apesar de parecer o contrário, quem usou afirma ser super confortável.

Lady GaGa com alguns dos seus saltos fantasmas

Lady GaGa com alguns dos seus saltos fantasmas

Salto phantom de Giuseppe Zanotti

Salto phantom de Giuseppe Zanotti

Natália com seu look de oncinha e sapato de salto fantasma

Natália com seu look de oncinha e sapato de salto fantasma

Por aqui, nas noites de São João do Parque do Povo, já têm mulheres usando a tendência. Entre elas, a empresária Natália Jordania, que também estava usando a atemporal estampa de oncinha, no vestido e na bolsa. Mas, e aí, será que veremos – ou não – mais vezes o fantasma nos pés campinenses? Ou essa é uma moda passageira? Quem viver, verá!

Espaço para o tradicional

 

Em meio a tantas tendências, ainda há espaço para o uso dos tradicionais looks que incluem a famosa estampa xadrez e a bota. Em vários estilos e variações, homens e mulheres não deixam de usar esses símbolos das festas juninas. A estudante Anne Vasconcelos e o namorado Carlos de Souza Aragão foram juntos para a festa junina trajando blusa xadrez, calça jeans e bota: ela num estilo mais romântico de salto e ele num estilo mais vaqueiro. “A gente se sente confortável com esse tipo de roupa, é a época do ano em que a gente mais pode usar. Essas peças ficam guardada o ano todo esperando o São João chegar”, afirma Anne.

Mas não é preciso ir fantasiado de festejos juninos para usar essas peças. O xadrez, em especial, já virou um clássico da moda e vai bem com praticamente tudo. Veja algumas dicas de produções para essa estampa e aproveite as peças que você tem em casa para curtir o restante das festas de São João.

Foto_Matéria2_xadrez_Looks para noite

Foto_Matéria2_xadrez_Looks de dia

 

Reportagem: Ivan Andrey, Bruna Neves, Káio Lenno Araújo e Agda Aquino

Edição: Agda Aquino

Fotos: Ivan Andrey, Káio Lenno Araújo e Jéssica Oliveira

Produção de moda: Ivan Andrey e Rosemere Marinho

Moda do cangaço! Ontem, hoje e sempre

Publicado em

Nem só de tendências vive o mundo da moda. A pesquisa histórica sobre modos de vestir de grupos distintos é uma parte importante dessa área e acaba servindo de ferramenta para ajudar a contar um pouco da história das culturas onde essas modas estão inseridas. Esse é o caso do livro de luxo lançado pelo historiador Frederico Pernambucano de Mello (uma verdadeira autoridade no assunto): Estrelas de Couro – A Estética do Cangaço. Uma obra minuciosa, com 258 páginas repletas de fotos raras e de imagens das cerca de 160 peças da coleção particular do autor. É a primeira vez que um livro faz um levantamento profundo e detalhado sobre a vestimenta dos homens e mulheres cangaceiros. O prefácio do livro é escrito por ninguém menos que Ariano Suassuna. É certamente uma das melhores aquisições da minha biblioteca fashion. É uma obra é da Editora Escritas e é relativamente cara para o bolso do brasileiro, custa em média R$ 150,00, mas vale cada centavo. É repleto de imagens coloridas, tem as bordas das páginas pintadas em prateado, aplicação de tecido na capa e fotos históricas de página inteira, além do conteúdo incrível, claro. Não é a toa que o livro foi finalista do Prêmio Jabuti 2011 nas categorias Produção Gráfica e Ciências Humanas.

Os detalhes mostrados pela obra ajudam a explicar muita coisa do jeito nordestino de ser. Enquanto os bandoleiros tradicionais vestiam trajes de cores escuras e se escondiam da polícia, os cangaceiros tinham orgulho do traje, se enfeitavam com anéis, medalhas, lenços coloridos, bordaduras, chapéus de couro com estrelas e moedas, e muitas peças chamativas. Sem dúvida uma opção estética rica, peculiar e original, que ajuda a dar origem à imagem um tanto mística que o cangaceiro criou ao longo do tempo.

Você sabia, por exemplo, que Lampião andava pelo sertão nordestino com máquinas de costura de ferro para poder fazer as peças do bando que o acompanhava? Que ele concebia muitas das peças usadas pelos cangaceiros? Você sabe o significado das estrelas dos chapéus? Que as sandálias de couro tinham enfeites e correias que as prendiam aos tornozelos para aguentar o tranco das caminhadas pelo meio do mato? Que os cangaceiros que tinham o cabelo comprido o prendiam com pentes típicos dos penteados femininos? E que as roupas eram tão chamativas que podiam ser vistas de longe, até mesmo à noite?

Essas e outras curiosidades da vestimenta desses homens e mulheres do nosso passado recente ajudam a explicar melhor quem eram e o que faziam. Nos aproximar dessa estética nos faz entender um pouco mais também de quem somos e a entender o orgulho que essas pessoas sentiam de ser o que eram: homens e mulheres fora da lei e que queriam ser felizes assim.

Outra dica para saber um pouco mais sobre o livro é ver a entrevista que Frederico Pernambucano de Melo concedeu ao programa de Jô Soares na época do lançamento. Para facilitar a vida dos curiosos no assunto, eu trago os vídeos aqui.

Para quem gosta do assunto, sugiro um texto delicioso, profundo e completo da minha querida e talentosa amiga natalense Gladis Vivani, que tem o blog Salto Agulha. No post ela dá alguns detalhes e curiosidades sobre a moda e a estética do sertão, vale a pena. Para ver, clique aqui.

Conheça os vencedores do concurso de novos estilistas e veja fotos dos bastidores

Publicado em

Foi com muita honra e alegria que fui convidada para ser jurada do segundo Fashion Tech  – Concurso de Novos Estilistas organizado pela Estação da Moda e Prefeitura Municipal de João Pessoa. A seleção foi difícil e o nível dos concorrentes surpreender, como revelou a jurada e convidada de honra desta edição do evento, a estilista Fernanda Yamamoto. “Os trabalhos estão muito bons, vai ser um páreo duro escolher os vencedores”, disse em conversa informal durante os bastidores do evento.

Na minha opinião, essa foi uma missão extremamente prazerosa e difícil. É uma responsabilidade muito grande julgar trabalhos que envolvem tanto amor e dedicação dos candidatos. Ainda bem que a missão era dividida entre cinco pessoas que julgaram com base me diferentes critérios. Ao mesmo tempo que fico muito feliz com o resultado, fico com medo de desestimular de alguma forma as pessoas tão talentosas que ficaram de fora da lista de vencedores, mas que merecem todos os méritos pelo trabalho desenvolvido.

Eu já sabia, claro, do resultado do concurso desde a semana passada, só que ele foi divulgado oficialmente ontem por isso trago hoje e compartilho com vocês. Quem levou o primeiro lugar foi o surpreendente trabalho de José Alberto de Arruda Segundo, de apenas 18 anos. Inspirada em origamis e doces, o estudante de design gráfico criou uma coleção intitulada Candy Craft. Os segundos e terceiros lugares ficaram com as talentosas designers de moda Gabriela Muniz Barbosa e Rafaella Sousa de Oliveira,respectivamente. Também foi concedida uma Menção Honrosa a Rivaldo Paiva, pela coleção inspirada em elementos da história e da cultura paraibana, um trabalho de pesquisa intensa que deixou todos da banca de boca aberta.

No mais, foram dois dias intensos, com direito à palestra de Fernanda Yamamoto (que já foi assunto aqui do blog) e uma confraternização com gente muito querida no Empório Café.

Informações do blog do Fashion Tech:
Alberto e a peça vencedora
Com uma criação minimalista e capricho a todos os detalhes da coleção, José Alberto ganhou o júri, que o classificou como muito talentoso e detalhista. Para o jovem, o primeiro lugar foi uma grande surpresa, pela pouca – ou nenhuma – experiência na área. “Eu realmente não esperava. Confiei um pouco no meu trabalho, mas não acreditava que estava no nível de um concurso como esse. Praticamente todos os meus concorrentes já estudaram ou ainda estudam moda e até o dia em que me inscrevi no concurso toda a minha experiência nessa área não passava de algumas ilustrações, croquis, que eu fazia sem qualquer pretensão”, disse José Alberto.
Para o diretor da Estação da Moda, Romero Sousa, esta edição foi marcada, sobretudo, pelo talento dos participantes: “Quando a gente se depara com um candidato que encara e vence uma premiação desse nível, transmitindo o conceito de moda de forma plena e com uma bagagem formada apenas pelo talento, conseguimos dimensionar o valor e o poder dos talentos perdidos que temos por aí e como é importante criar meios para desenvolvê-los. E é exatamente isso que a Estação da Moda, por meio do FashionTech vem fazendo”.
Nos próximos meses, Alberto vai desenvolver uma coleção completa (composta por 30 looks), cujo material, equipamentos e equipe técnica para produção e execução das peças serão cedidos pela Estação da Moda. No final do ano, todas as peças criadas pelo estilista estarão reunidas num desfile também promovido pela Estação da Moda. “Tenho muito desafio pela frente, já que não entendo nada de corte e costura. Ainda por cima, a coleção é de difícil execução porque apresenta muitos recortes, dobraduras e cortes a mãos”, ressaltou.  O ganhador ainda terá a oportunidade de fazer uma visita técnica ao Senai/ Cetiqt, no Rio de Janeiro (RJ).
As designers de moda, Gabriela Muniz e Rafaela Souza, também foram premiadas com um notebook e um tablet, respectivamente. A primeira desenvolveu a coleção “Anos Dourados”, inspirada nos Anos 50, enquanto Rafaela teve como inspiração o grafismo de uma tribo indígena do Amapá. A coleção foi chamada “Kusiwa”.
Homenagem à Paraíba rende Menção Honrosa – Com a coleção “Linhas do Tempo”, o estudante de Letras com habilitação em Francês, Rivaldo Paiva, ganhou uma menção honrosa do júri. “A coleção conta um pouco a história da Paraíba desde a época dos canaviais, misturando um pouco os nossos costumes e cultura, além de pontos turísticos. Acho que consegui promover uma releitura do passado, com o presente e o futuro do Estado”, afirmou Rivaldo.
Ele conta que aproveitou o período de greve da Universidade Federal da Paraíba para criar a coleção. “Foi muito gratificante participar de todos os processos. Foi a primeira vez que participei de um concurso então essa Menção Honrosa é muito bem vinda”, comemorou o estudante de 20 anos.
FashionTech – Este ano, 28 trabalhos foram inscritos na 2ª edição do FashionTech e dez candidatos selecionados para concorrer a etapa final do concurso. Cada participante escolheu um dos croquis para ser executado e apresentado nesta etapa. As apresentações aconteceram nos dias 4 e 5 de julho, na sede da Estação da Moda. Participaram como jurados desta edição a estilista Fernanda Yamamoto, o professor de Sociologia da UFPB, Adriano de Leon, a jornalista especialista em moda, Agda Aquino, a gerente técnica da Modateca da Universidade de Pernambuco, Ana Rita Peroba e o diretor da Estação da Moda Romero Sousa.
Veja Também:

Novo concurso de estilistas é aberto em João Pessoa

Veja o resultado da primeira edição do FashionTech

Processo criativo é tema da palestra da estilista Fernanda Yamamoto em JPA

Publicado em

O evento mais aguardado da semana no mundo fashion pessoense aconteceu ontem à noite. Foi a palestra da estilista Fernanda Yamamoto, de São Paulo, no auditório do Sebrae. Fechado para convidados, o espaço estava repleto de estudantes e profissionais de moda que se deliciaram com as dicas da profissional conhecida pela criatividade e inovação. Foram mais de duas horas de encantamento sobre um processo que começa sempre em um mergulho nas referências, passa obrigatoriamente pela elaboração do tecido e cai de cabeça em experimentações e modelagens fora do comum. Trilhando o caminho limítrofe entre o conceitual e o comercial, Fernanda demonstra a simplicidade e humildade típica dos sábios em suas artes e afirma: “o resultado é 99% transpiração e 1% inspiração”.

Se você não esteve por lá e quer conhecer um pouco mais sobre o trabalho dessa criadora, eu trago aqui hoje alguns dos melhores momentos da palestra, pontuado também por observações de quem está tendo o prazer de conviver um pouco mais com ela – já que sou jurada do concurso FashionTech da Estação da Moda ao lado dela. No evento ela traçou um panorama do seu processo de criação de quatro coleções passadas até chegar a mais atual, destacando que esse é o processo que ela segue e que não pode funcionar como uma regra, cada um tem que construir o seu jeito. A estilista contou que o seu processo de criação não é linear e muitas etapas acontecem paralelamente e às vezes “de um erro sai um acerto”. Vamos aos detalhes?

Verão 2011

Fernanda contou do seu olhar diferenciado sobre a cidade de São Paulo, que serviu de inspiração para esta coleção. Ela enxergou a cidade de forma poética e buscou nos elementos e nas ruas da cidade a leveza, a delicadeza e ao mesmo tempo a densidade da maior cidade do país. Paralelamente à essas referências, ela foi buscar uma de suas técnicas preferidas de tecelagem, a feltragem. Nas suas buscas sobre a origem do tecido, começou a compor a própria matéria prima para a confecção da coleção. Tratou, tingiu e compôs a lã manualmente num processo que intitulou de “maquetes têxteis”, construindo um tecido inspirado nos telhados e na vista aérea da cidade de São Paulo. “Cada metro de tecido feito nesse processo manual leva cerca de dois dias para ficar pronto”, contou a estilista, que diz curtir cada etapa do processo e aprimorar as técnicas a cada experiência.

Inverno 2011

Desta vez inspirada no círculo – símbolo secular carregado de significados em todos os povos da humanidade, a coleção veio carregada de simplicidade e deu continuidade ao processo desenvolvido anteriormente com a feltragem. Para dar uma nova cara o tecido, resolveu acrescentar uma outra técnica secular ao processo, a arte japonesa de fazer papel de arroz manualmente, chamada de Washi. “Desta vez o tecido teve mais presença da lã por ser uma coleção de inverno”, explicou Fernanda, mostrando que além de criar formas, a elaboração do tecido também é parte essencial do seu processo criativo e é carregado de significados.

Verão 2012

Nesta coleção o ponto de partida da criação foi as imagens da natureza e Fernanda trabalhou mais uma vez na construção do tecido, só que agora através de linhas que representavam raízes. Foi nesta coleção que ela incorporou um dos símbolos mais pops da cultura mundial hoje, a Hello Kitty. Mas o grande dilema dela foi como interpretar esse símbolo tão massificado de forma diferente. O caminho encontrado pela estilista foi deformar e disfarçar a imagem para que ela continuasse presente porém não de forma não evidente. “Para esse processo trabalhei com estêncil e estampas com a carinha da personagem camuflada nos tecidos”, disse Fernanda, explicando ainda que usou elementos encontrados em casa como farinha e açúcar para “distorcer” a imagem. Também foram usadas imagens das torradeiras que deixam a carinha da Hello Kitty para estampar tecidos que deram origem às peças.

Inverno 2012

O pontapé dessa coleção foi as imagens dos quadros renascentistas que ilustram a imagem de Bianca Maria Sforza. Elas decoraram a barra do tecido tecnológico criado para as novas peças que tinham o Jacar como base inspiradora, criando um tecido exclusivo para a coleção. Para incrementar outras partes de tecido listrado usados pera representar as referências ela foi buscar a técnica do silk usando um tom de ouro velho, uma verdadeira garimpagem de elementos para compor a teia das peças. “Eu gosto de manter sempre a relação com o trabalho artesanal, portanto depois do trabalho executado eu ainda acrescentei a colagem de pedrinhas – uma por uma – em algumas peças”, destacou Fernanda, explicando que foram muitas horas nesse trabalho manual que verdadeiramente diferencia uma vestimenta industrializada daquela feita a mão.

Verão 2013

A coleção mais recente da estilista, que figurou nas passarelas da última edição do SPFW, teve como tema a geometria. Para isso ela misturou duas referências que, a seu ver, foram complementares: as obras do arquiteto mexicano Luiz Barragán e do artista plástico Hélio Oiticica. Ela explicou na palestra que ambos trabalham com cores fortes e elementos que lembram as dobraduras do origami, luz e sombras. Esse foi o ponto de partida para fazer as novas maquetes têxteis, onde trabalhou com bordados em linhas brilhosas na materialização da inspiração.

A palestra foi uma verdadeira aula de moda e de criação, uma noite inspiradora, fechada com chave de ouro pelas afirmações da estilista, dizendo, entre outras coisas, que é possível continuar conceitual e criativo sem perder o lado comercial. Para isso o segredo de Fernanda Yamamoto é não se prender ao comercial durante o processo criativo, senão acaba fazendo coleção de show-room e não experimentação, que é seu foco.

Botas, uma tradição dos festejos juninos – ganhe a sua

Publicado em

As festas juninas estão em alta no Nordeste, e por aqui basta esse tempo chegar para todo mundo botar as botas de fora. Nas ruas, nas festas, nos eventos, nos shoppings, homens e mulheres desfilam com seus calçados de inverno, mesmo que por aqui essa temporada não seja tão fria assim. E essa tendência clássica da estação em todo o mundo tem mais história do que a gente imagina.

Povos antigos do mundo inteiro já usavam sapatos feitos de couro e pele de animais que cobriam as canelas e as batatas das pernas nas regiões mais frias do mundo. Por aqui pelo Brasil, as tendências mundiais sempre foram seguidas, e as botas sempre estiveram presentes nelas. Usadas para caçadas por ser confortável e protetora, as botas começaram sua história adornando os pés masculinos, mas não demorou para que as mulheres entrassem nesse universo.

Aqui no Nordeste a tradição do uso das botas tem tudo a ver com os vaqueiros. Feitas de couro na sua maioria, elas protegem e aguentam o tranco, além de dar aquele charme típico do homem do forte e trabalhador. Não é à toa que elas são símbolo das festas juninas, basta rolar um arrasta pé para as botas aparecerem, tanto em pés masculinos como femininos, dos modelos mais tradicionais aos mais atuais. Mesmo que faça um pouco de calor, o investimento vale a pena para entrar em sintonia com a tradição, sem perder o charme moderno.

Hoje as mulheres têm diversas opções no mercado, que se adequam não apenas às tendências de moda, como também ao seu estilo pessoal. As combinações também podem ser muito diversificadas, o limite é a imaginação. Eu pessoalmente acho lindo demais botas com vestidos e saias delicadas, um contraste entre o forte, o firme da bota e a delicadeza e a leveza da mulher. Claro que as combinações tradicionais com calça sempre estão em alta, mas há espaço também para o uso dos shorts, saias e vestidos longos ou outra combinação que desejar. Além disso, as opções de botas são inúmeras, desde as mais tradicionais às mais estilosas. Sem salto, com salto baixo, com salto alto, cano curto, cano longo, cano médio… é só escolher aquela que é a sua cara e sair arrastando o pé nos forrós por aí.

Participe da Promoção

Para fechar esse post especial com chave de ouro, que tal ganhar uma bota de presente de ninguém menos que a Piccadilly? A marca entrou em contato com o blog e resolveu disponibilizar uma bota para o participante mais criativo. Líder mundial em conforto, a Piccadilly também está antenada com as maiores tendências de moda. O conceito por trás das criações da Piccadilly é o da Nova Mulher, que está antenada com as novas tendências mas que tem muita personalidade.

Para participar é bem simples. É necessário responder a seguinte pergunta: Como uma nova mulher comemora o São João? As respostas devem ser postadas aqui nos comentários do blog. A mais criativa será premiada com uma dessas botas aqui abaixo (a vencedora poderá escolher o modelo). O resultado será divulgado aqui mesmo nesse post, no dia 29 de junho, dia de São Pedro. Os concorrentes têm uma semana para criar sua frase e postar por aqui. Quem ganhar poderá escolher entre um dos três modelos. O vencedor deverá me passar os seus contatos (email, endereço, telefone) para que a Piccadilly entre em contato e envie a bota. Que delícia, não é?

Aproveite e conheça o MyLook, uma rede social da Piccadilly que permite que essas novas mulheres criem, pesquisem e compartilhem seus looks. Para acessar clique aqui.Lá você pode combinar as botas com os looks e ainda relacionar as características dos perfis que mais combinam com você, essa nova mulher. #ousada, #apaixonada, #romântica… de acordo com a bota.Visite também o portal da marca e o perfil da Piccadilly no Facebook.
Bora participar galera?

PS: Este NÃO é um post publicitário. Não há $$$ envolvido, só a vontade de fazer você ficar mais bonita de bota nova nesse São João.

Novidades do Café com Moda em João Pessoa

Publicado em

Não é a primeira vez que o Café com Moda aparece por aqui, e certamente não será a última. É que estamos entrando definitivamente em parceria na promoção e divulgação desse evento que veio mudar a consciência da cidade com relação ao mundo da moda. E as vésperas da sua 11ª edição, o Café com Moda se fixou no calendário fashion de João Pessoa e agora vai passar por algumas mudanças que visam principalmente adequar o evento às necessidades e interesses do público.

O blog www.nacamacomleon.com, liderado por Alex Cavalcanti, continua responsável pela organização total do evento. Para selar uma nova fase do Café com Moda, assim como atualizar o evento e continuar com o mesmo nível de excelência proposto pelos seus idealizadores desde as suas primeiras edições, nada melhor do que realizar algumas mudanças. A primeira delas é em relação a data e ao horário: a partir de agora ele acontece aos sábados. “A mudança de horário vem atender uma demanda do nosso público. Infelizmente, as tardes de quarta-feira não eram viáveis para muita gente, que por motivos de trabalho, faculdade ou outros compromissos acabavam não comparecendo ao Café. E ouvindo a opinião dos convidados do evento, surgiu a idéia de realizá-lo em um horário alternativo, como as manhãs de sábado, que são mais tranquilas”, contou o querido jornalista e produtor de moda Alex Cavalcanti, organizador do evento.

Segundo ele, essa mudança não é definitiva. Previsto para começar às 10h30, o evento visa atrair novas pessoas. “Esse horário vai funcionar como um teste. Nas próximas edições do evento, vamos sentir a resposta do público e aí sim fechar uma data e um horário definitivos”, explicou. Outra mudança será na identidade visual do evento: A logomarca e todo o material publicitário do Café serão atualizados, e o público terá um papel fundamental nessa mudança. “Na próxima edição do Café, o público que comparecer vai poder votar entre algumas opções de logomarcas que estão sendo desenvolvidas para atualizar a identidade visual do evento. Com isso, o nosso público vai perceber que mais do que nunca, o Café com Moda é um projeto interativo e que tem nos seus convidados uma parte importante do evento”, contou Alex.

E por último, porém não menos importante, o Café com Moda acabou de fechar uma parceria com dois sites de moda que são referência na divulgação de notícias e no compartilhamento de informações e conhecimento sobre o universo fashion aqui em João Pessoa: O portal Pensando em Moda e o blog Moda com Conteúdo, que a partir de agora serão os divulgadores oficiais do evento. Isso mesmo gente, agora o Moda com Conteúdo faz parte oficial da equipe que celebra a moda profunda e reflexiva por aqui pelo estado. Uma equipe de luxo, não é?

Para Alex Cavalcanti, a mudança vem ampliar ainda mais os horizontes do Café. “Com isso, além de reconhecer o trabalho bem feito dos dois sites na área do jornalismo de moda, procuramos mais do que nunca nos sintonizar com o público que lê e consome moda na Paraíba, e que busca também por notícias de eventos nessa área e por discussão de temas relevantes na moda atual”, disse.

A próxima edição do evento já tem dia e palestrante certos: 30/06, um sábado, com a querida amiga e jornalista de moda Lilian Moraes, do Sistema Correio de Comunicação. Mais detalhes sobre esse babado, em breve.

Para mais informações, o Café com Moda também está presente no Twitter e no Facebook.

Bijuteria solidária para presentear no dia dos namorados

Publicado em

Pessoal, o post de hoje é dedicado ao dia dos namorados. Se você é daqueles que deixou o presente para última hora vai gostar de ver essas opções. Que tal aproveitar o dia para presentear e ajudar ao mesmo tempo? Estou falando da coleção de bijuterias solidárias, cuja renda será revertida para famílias carentes de João Pessoa, além de ajudar a embelezar a mulherada. As peças são assinadas por Lapaiva em parceria com o projeto Soão João com Fartura. Para participar basta entrar em contato com o grupo através do Facebook ou do Twitter.

Bijouterias fashions, fique linda e ajude a quem precisa.

Informações em:
https://www.facebook.com/saojoaocomfartura

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.211453258974615.44715.211416192311655&type=1

https://twitter.com/#!/sjoaocomfartura

Gestora do evento:

Nayara Queiroz – (83)8860-0019
Cândida Luiza – (83) 8708 – 6392 / candidaluiza@hotmail.com

%d blogueiros gostam disto: