Assinatura RSS

Arquivo da categoria: Eu Fiz

Espaço para as minhas produções individuais, eu mesma botando a mão na massa e compartilham com vocês.

Moda feita com Light Painting – aprenda a técnica

Publicado em

Que tal sair por aí usando vestidos e roupas feitas apenas com luz? Sei que parece algo futurístico, mas foi o que inspirou o ensaio fotográfico que eu trago hoje aqui no blog para inspiração. Eu gostei das fotos particularmente por ser professora de fotografia e sempre envolver meus alunos com a técnica. É muito bom ver esse tipo de coisa quando a gente acha que já está tudo igual no mundo da moda. É conceitual, mas nos leva à reflexão.

Ví no DesignLov

O Light Painting é uma técnica bem antiga de fazer desenhos com luz. Algumas fotos de Picasso usando a técnica são mundialmente conhecidas. Também tem muita gente por aí fazendo vídeos com essa mesma estética. Ela invadiu o mundo da moda há algum tempo e já é possível encontrar editoriais de moda por aí que entram nesse universo fotográfico.

Eu sempre faço a técnica com meus alunos de fotografia, nos cursos de Jornalismo e Comunicação Social que ensino. Ainda não fizemos nada parecido com os vestidos e roupas, mas a ideia é a mesma. Olha só um pouco do que ando aprontando com o pessoal.

Se você quer aprender um pouco sobre a técnica, veja o vídeo abaixo. Ele dá dicas para fazer sua fotografia com desenho de luz em casa.

Anúncios

Aprenda a costurar a barra da calça sem precisar de ajuda

Publicado em

Esse post é para quem, como eu, vê na arte de costurar um hobby tão prazeroso que não consegue se distanciar dele. Uma boa forma de exercitar é com pequenos ajustes ou arrumações de peças. Foi então que dando um jeito nas barras de minhas calças novas que resolvi fazer esse post, ensinando aqueles e aquelas que têm interesse em se aventurar na hora de fazer as próprias barras. Eu aprendi uma técnica super simples que dispensa a ajuda de outras pessoas na hora de medir e marcar a peça. Como? É o que você vai ver a seguir!

Para fazer a barra você vai precisar de: a calça nova, uma calça sua já com a barra feita no seu tamanho, alfinetes, agulha e linha (da cor da calça ou contrastante). O primeiro passo é colocar as duas calças no avesso. Em seguida estique-as numa plataforma plana, como uma mesa. Depois ajuste a calça nova em cima da calça antiga, alinhando pelo gancho (para quem não sabe, o gancho é a parte da calça que junta as duas pernas, logo abaixo do ziper. Tenha cuidado para que nenhuma das pernas fique dobrada ou com pano por baixo, isso pode fazer uma grande diferença. Em seguida dobre a barra da calça nova e ajuste para o tamanho da antiga, prenda com os alfinetes.

Em seguida, tire a calça do avesso e prove com cuidado para não se machucar com os alfinetes. Essa é a hora de tirar a prova e ver se a medida está correta. Se tiver errado ainda dá para ajustar. O ideal é que a calça fique pelo menos um centímetro mais curta do que o seu pé já com o sapato, então prove com um sapato no pé. Evite deixar a barra rente ao chão porque isso faz com que ela fique suja e se desgaste facilmente. Se você usa muito salto alto, faça a medida para esse tipo e calçado. Eu prefiro sandálias e tênis, portanto faço a medida de acordo com esse uso.

Depois de medida e ajustada, é hora do corte e da costura. Corte a barra restante deixando mais ou menos três dedos para a costura. Se sua calça for de um tecido muito duro, tipo jeans ou sarja, o ideal é usar a máquina de costura. Se for uma calça de linho ou de outros tecidos mais molinhos, dá até pra fazer na mão (só que é muito mais demorado). Costure colocando uma parte do tecido para dentro para evitar que desfie depois e fazer um acabamento melhor. Na máquina é rapidinho. Na mão basta fazer pontos pequeninos. E depois o resultado é usar e abusar da calça. Aqui abaixo eu mostro o resultado de duas que fiz: uma em jeans na máquina e outra em linho na mão. E aí, será que ajudei a inspirar? Tomara que sim!

Aprenda a encapar cadernos e bloquinhos com tecido

Publicado em

Eu simplesmente amo fazer produtos manuais com amor, paciência e carinho. E o post de hoje é mais um exemplo disso. De vez em quando surgem aqui no blog algumas iniciativas minhas no intuito de dar cara nova a coisas que temos em casas, dessa vez não é diferente. Juntei um bloco que eu havia ganhado, com tecidos que tinham sobrado das cadeiras daqui de casa, com papeis da minha caixinha de materiais, cola, tesoura e uma fita de cetim antiga e… pronto, eis um novo caderno personalizado com chita. Quer aprender a fazer, então me acompanha que eu te conto tudo direitinho.

O primeiro passo é escolher o tecido e recortar um pouco maior do que a superfície que você quer cobrir. É o mesmo princípio para encadernar com plástico. Não precisa sobrar muito tecido na borda. Depois basta passar cola branca bemmmm espalhadinha com pincel e colar o tecido na frente  no verso do caderno. A dica de bom acabamento fica por conta do cantinho: é necessário fazer um corte na parte que não dá pra botar pra dentro da capa. Em seguida faça um corte nas bordas, tirando linhas soltas e sobras excessivas de tecido.

Vá colando as bordas para dentro com cuidado para o trabalho ficar bem feito. Não tenha pressa. Nos cantos prefira fazer recortes para que não fique com tecido demais pra dentro, o que dificulta o acabamento a seguir.

Antes de colar o papel para fazer o acabamento, cole o marcador de página. Nos meu caso eu escolhi uma fita de cetim vermelha. Em seguida cole por dentro para esconder as dobras do tecido uma folha de papel colorido de sua preferência. Quanto mais fino, mais cuidado deve ter para não enrugar com a cola branca. Eu escolhi uma cor para um lado e outra para o outro, acho que ficou uma gracinha, e vocês?

Aí em cima está o resultado final. Outras dicas, tenha cuidado com o excesso de cola, para não colar uma página com a outra. Outra coisa, o bom acabamento e cuidado com os detalhes faz a diferença no resultado final. E, por fim, depois de acabado o trabalho, deixe o caderno um pouco de tempo em baixo de algum peso, como um livro grande, para ficar retinho.

Estou doida para inaugurar meu bloquinho por aí, e você, vai fazer o seu?

Gostou? Então veja também!

Como cobrir cadeiras com tecido

Como  recuperar um tênis antigo

Aprenda a recuperar um tênis antigo e desgastado

Publicado em

Estava eu com um tênis velhinho da New Order encostado no fundo do armário, sem coragem de me desfazer dele. Um fofinho que estava tão desgastado por puro amor e uso constante. Envelhecido por uns três anos de usa/lava/usa/lava, a cor laranja já não era a mesma há tempos e as manchas tomavam conta do bichinho, apesar da estrutura permanecer ótima para o uso. Pensei, me desfaço ou o refaço? Inspirada pela palestra do Caderno de Inspirações do Sebrae/Senai/Cetiqt do ano passado, que destacou a tendência comportamental do “reduzir, reutilizar e reciclar”, não tive coragem de mandá-lo para o lixo. Recuperei meus dotes artesanais, abri minha caixinha de tintas de tecido e resolvi botar a mão na massa, ops, na tinta e fazer o tênis ressurgir do limbo.

O material necessário é simples. Não tenho os preços porque era tudo do “arquivo pessoal”.

– O tênis velhinho

– Pincéis (de preferência vários tipos, e principalmente um bem fininho para detalhes)

– Tintas de sua preferência (no meu caso eu mantive a cor anterior)

– Cotonetes®

– Barbante e cola branca para dar uma ajeitadinha na ponta do cadarço esgarçado

– Paciência e jeito

No meu projetinho de recuperação, a intenção não era mudar ou dar uma cara nova, apenas retomar o vigor dos seus velhos tempos. Por isso busquei a mesma cor que tinha antes (mas quem quiser pode apostar em novidades e inovações). A dica principal na hora de pintar um tênis ou qualquer outra coisa à mão é ter atenção, cuidado e paciência. Pintar devagar e ter muito cuidado com o acabamento faz toda diferença entre um bom trabalho e um objeto labrogêro. Comece pelas bordas com o pincel mais fino e vá fazendo os contornos. Se algo borrar, corrija na mesma hora com um cotonete ou algodão. Depois preencha o meio com o pincel mais grosso.

Às vezes pode escapar um pingo de tinta aqui ou acolá. Nesse caso, eu recorri à tinta branca para melhorar o acabamento. Também teria a opção de pintar toda parte branca do tênis também, mas desisti, achei o resultado suficientemente bom. Aproveitei o tempinho que restou para recuperar um pouco do cadarço. Sabe aquela pontinha que esgarça com o tempo? Pois dei um jeito nela com linha e cola branca, a mesma que usei para fazer a cobertura das cadeiras aqui em casa (tema de outro post) e que é usada para decoupage (como o sugerido pela Natura na caixinha que falei em outro post). O resultado eu amei, estou doida pra usar de novo. E que seja eterno enquanto dure.

Se você também quer entrar nessa vibração de reduzir, reutilizar e reciclar (tema recorrente aqui no blog) sugiro alguns posts que podem te inspirar. O primeiro deles é sobre o documentário que falada indústria da obsolescência (dá pra ver o filme todo aqui no blog) e outro sobre o blog Um Ano Sem Zara, da moça que passou um ano inteirinho sem comprar nenhuma peça de roupa, só remontando looks com o que já tinha no armário.

Moda também em casa – aprenda a cobrir cadeiras com tecido

Publicado em

Como uma apaixonada por moda, não poderia deixar de ter toques dessa paixão na minha casa. De mudança para um novo lar, eu e meu marido resolvemos dar um toque alegre à mesa de jantar customizando as cadeiras. O primeiro passo foi comprar as cadeiras, o que fizemos no Extra, comprando seis cadeiras clássicas de madeira, todas brancas, todas sem graça mas por um preço ótimo. A ideia inicial foi pintar cada com uma cor diferente. Compramos aquelas tintas em spray, que não deu muito certo já que elas descascavam. Uma deixamos em amarelo, que foi pintada com uma tinta mais resistente. Depois veio a ideia de cobrir com tecido e fui buscar na internet formas de fazer. E achei esse vídeo aí abaixo (é só clicar na imagem para ir para a página do vídeo).

O mais difícil pra mim foi achar tecidos interessantes. O de bolinhas e o florido são chita, que estavam em promoção já que o São João já passou. Uma é com jeans estampado e a outra, a xadrezinha, foi a mais difícil de aplicar porque o tecido esticava um pouco. Dica: melhor comprar tecidos mais duros. O material usado, além dos tecidos, foi cola branca, tesoura e pincel.

É necessário um pouco de paciência, mas o trabalho não é difícil. Eu fui muito cuidadosa para deixar o acabamento legal e demorei cerca de duas horas em cada cadeira. Cobri as cadeiras antes de colocar os pés e o efeito na mesa ficou muito legal.

Tem gente sugerindo cobrir com tecido as outras duas também. E você, o que acha?

%d blogueiros gostam disto: