Assinatura RSS

Arquivo da categoria: Filmes

Documentário de Win Wenders sobre moda é opção de lazer fashion para o domingo

Publicado em

Domingo é dia de encher a cachola de cultura. Aproveitar a preguiça para promover o conhecimento. Se você achou a ideia boa vai achar mais ainda essa dica. Que tal parar um tempinho para ver um documentário do cineasta alemão Win Wenders sobre a moda. Isso mesmo, moda! Em meados de 1989 o consagrado diretor lançou o filme Identidade de Nós Mesmos, onde fala sobre suas opiniões sobre a indústria fashion e debater com o designer japonês Yohji Yamamoto o preconceito sobre o tema, os aspectos em comum entre o cinema e a moda, entre outras abordagens. Imagem, vídeo, representação, desejo e vários outros fatores da vida e da moda são tratados no filme, vale muito a pena. Abaixo trago uma abertura do material para dar aquele gostinho nos interessados em Moda com Conteúdo.

Ah! Dá pra comprar no site da Livraria Cultura!

Dica de filme da semana – The September Issue

Publicado em

1-sept

Hoje é domingo, dia de dica de filme para a galera fashion. Fazia tempo que eu queria falar desse por aqui, mas por um motivo ou outro ficou para depois. Ele não é novidade, mas por incrível que pareça tem um monte de gente que não viu. Estou falando do documentário The September Issue, que mostra o trabalho de Anna Wintour na Vogue norte-americana e como a principal edição do ano é concebida. Eu tive o prazer de conhecer a revista citada no filme, uma publicação enorme de centenas de páginas, mais da metade de publicidade. Também participei de uma banca de TCC em Mossoró, na UERN, onde uma estudante fez uma ótima análise da obra – um marco para a produção audiovisual fashion.

vogue

O filme conta os bastidores da produção da edição de setembro da revista. Anna Wintour é personagem principal, realmente monossilábica, mas quando ela fala sempre surgem frases de efeito e que nos fazem abrir o caderninho de anotações pra não esquecer disso nunca mais. O diretor R.J. Cutler captou bem o espírito da moda e é maravilhoso ver desfiles e roupas numa tela gigante de cinema. O filme é uma verdadeira mostra de como as grandes revistas de moda são feitas, tim-tim por tim-tim (e com aqueles cortes estratégicos que só o cinema saber fazer).

annaw

Logo no início, o dcumentário mostra o que a gente realmente imagina, Anna Wintour vendo exclusivamente e em primeira mão a coleção de YSL em Paris. E num dos poucos momentos do filme, baixou o espírito devil e suas caras e bocas decretaram que ela não tinha simpatizado com a coleção de Pilati, que se esforçou tentando reverter a situação. Tirando isso, o filme não mostra uma Anna tão devil assim, o que ela mesmo fala no filme é que ela trata seu trabalho com seriedade e muita responsabilidade, devido a tamanha importância de sua “opinião” sobre o assunto. Agora se você acha que o filme é cheia de Voguettes de 20 anos andando num salto 18, esqueça, não tem nada disso, a grande estrela do filme (mais que Anna) atende pelo nome de Grace Coddington, que era diretora-criativa da revista. Ela na época era responsável pelo editorias fantásticos e que sempre têm a intenção de ser um conto de fadas e fazer a pessoa sorrir e sonhar. Grace, que começou a carreira como modelo e entrou no mesmo dia que Anna na Vogue, é seu oposto, cheia de paixão, demonstra mais afetuosidade e “empolgação” no seu serviço. Ela sempre bate de frente e é a única que discorda de Anna, os momentos tensos do filmes estão sempre com ela, que por muitas vezes parece que vai mandar Anna pra casa do carValho, mas no final, uma sempre reconhece o trabalho da outra.

s

Essa foto acima é o exemplo do poder de Grace. O cameraman em questão é o que filmou o documentário e que foi convidado por Grace pra aparecer nesse editorial (com a Trentini). Quando Anna viu a foto, falou (brincando) que ele precisava malhar e mandou photoshopar a barriga do coitado, mas depois surge Grace que diz que de perfeita bastam as modelos, nada de photoshop nele, e assim foi feita a vontade da gênia (segundo a própria Anna).

1-grace-coddington

Além disso, o filme tem uma hilária participação de Mario TestinoSienna Miller que foi a capa e foi execrada com seu cabelinho, Raquel Zimmermann em dois editorias e Carol Trentini em um, o estilista Thakoon, que foi revelado por Anna, Gaultier e Bee Shafer, a filha de Anna, que disse que não quer nada com moda, mas ajuda a mãe a escolher a melhor capa!

O que nem todo mundo sabe ou faz a relação automática é com o filme “O Diabo Veste Prada”. Pois o documentário foi produzido como uma espécie de reposta ao filme. Demorou um pouco para ser lançado porque, de acordo com os boatos, teve que se reeditado quantas vezes fosse necessário para demonstrar uma Anna Wintour bem distante daquela mostrada na ficção, mas meio que acaba dando um tiro pela culatra porque mostra mais semelhanças do que diferenças. Vale a pena ver um e outro na sequência, e cada um tira as conclusões que achar melhor.

Audrey Hepburn é tema de mostra de filmes em João Pessoa

Publicado em

Dica cinematográfica para o final de semana. O Estacine Cult presta homenagem a uma das maiores divas do cinema mundial, a eterna bonequinha de luxo, Audrey Hepburn. Se estivesse viva, Audrey teria completado 83 anos no dia 4 de maio (ontem). Em homenagem à data, todos os domingos de maio, às 16h, no segundo pavimento da Torre Mirante da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, serão exibidos filmes que têm a atriz como estrela. E o melhor de tudo: a entrada é gratuita!

Um verdadeiro ícone da moda, Audrey Hepburn ficou conhecida pela elegância que a acompanhou a vida inteira. Para abrir a mostra, nada melhor do que o filme que marcou a sua carreira e é um dos maiores clássicos dos anos 1960, ‘Bonequinha de Luxo’ (Breakfast at Tiffany’s, EUA, 1961). O filme conta a vida de Holly Golightly (Audrey Hepburn), uma garota de programa de luxo que sonha em casar com um milionário e mudar de vida. Sem esperar, Holly apaixona-se por Paul Varjak (George Peppard), seu novo vizinho, um escritor preguiçoso, sustentado pelas amantes ricas. Holly se vê agora em um dilema: seguir com seus planos de se tornar milionária ou entregar-se ao grande amor. Abaixo segue o trailer para inspirar.

A mostra traz ainda a exibição dos filmes A Princesa e o Plebeu (ROman Holiday), de 1953, exibido no dia 13; Minha Querida Dama (My Fair Lady), de 1964, atração do dia 20; e Charada (charade), de 1963, encerrando a temporada (esse último com classificação 14 anos).  Imperdível para quem gosta de moda e também de cinema.

Para rever o que a gente já falou sobre Audrey Hepburn por aqui é só olhar os posts:

Mulheres que marcaram o mundo da moda

Colar de pérolas – um clássico que nunca sai de moda

Serviço: Estacine Cult – Mostra Audrey Hepburn

Filme: Bonequinha de Luxo

Dia: Domingo (06)

Hora: 16h

Classificação: Livre

Local: Sala de Audiovisual da Estação Cabo Branco

Informações: 3214-8303/ 8270

Documentário conta a história do consumo desenfreado através da indústria da obsolescência

Publicado em

Que tal aproveitar o tempinho extra do feriado para aprender mais sobre a sociedade em que vivemos? A dica fica por conta do filme Comprar, jogar fora, comprar: A história da obsolescência planejada (2011), que fala, dentre outras coisas, de como vivemos, uma sociedade onde os produtos são projetados para durarem pouco, e isso inclui a indústria da moda.

Essa história do troca-troca planejado começou no início da década de 1920,  quando um grupo de empresários constatou que um produto que se recusa a se desgastar é uma tragédia para o negócio. Assim nasceu a “Obsolescência Planejada”. Pouco depois, foi criado o primeiro cartel do mundo especificamente para reduzir a vida útil das lâmpadas incandescentes, um símbolo de inovação e de novas ideias brilhantes, e a primeira vítima oficial da obsolescência planejada.

Durante a década de 1950, com o nascimento da sociedade de consumo, o conceito adquiriu um significado completamente novo. Com desejo de possuir alguma coisa um pouco mais nova, um pouco melhor, um pouco mais cedo do que necessário fez-se a opção de produzir peças mais fracas, que se acabam e desgastam mais rapidamente, servem apenas o tempo suficiente para haver a demanda por algo novo e para o descarte do produto antigo. A sociedade do crescimento floresceu, todo mundo tinha tudo, as sucatas foram se acumulando, de preferência bem longe dos países ricos, em lixões ilegais no Terceiro Mundo, até que os consumidores começaram a se rebelar…

A indústria do consumo desenfreado de moda não está fora desse contexto, muito pelo contrário, ela é uma das grandes responsáveis pelo lixo dos novos tempos, especialmente com o fast fashion. Pense bem, vale mais a pena um monte de roupa descartável ou algumas boas peças para durarem a vida toda? Para muitos pode parecer uma resposta difícil de dar, especialmente em tempos de trocas cada vez mais rápidas. Ainda bem que o movimento pela repetição de roupas e pelas compras de produtos usados vem crescendo cada vez mais…

Ficou com vontade de se informar mais sobre o assunto? Então é fácil, olha o vídeo abaixo com o filme na íntegra. Boa sessão!

Documentário mostra características físicas da beleza

Publicado em

Hoje é domingo e muita gente fica em casa descansando. Que tal aproveitar esse dia de preguiça para aprender um pouco mais? Pois a minha sugestão audiovisual de hoje vai para o documentário Ciência do Sex Appeal, produzido pelo History Channel e disponibilizado pela emissora no youtube. É um filme importante para todos que se interessam pelas relações humanas, mais ainda por quem estuda estética e beleza. Sabe aquela máxima de “A beleza está nos olhos de quem vê”? Pois ela tem mais verdade do que a gente imagina.

O programa explora os processos subconscientes mais profundos envolvidos na atração entre os sexos, e como eles aparecem externamente com todos os seus detalhes e especificidades. A atração sexual é uma mera questão de gosto ou uma equação biológica que espera ser resolvida? Ciência do Sex Appeal revela todas as nuances da atração humana com o objetivo de determinar sua condição genética, hormonal ou neurológica. No documentário é explicado como esta atração se baseia na visão, no odor, ou em pequenos e sutis sinais, como a voz e o movimento.

Mas uma dica: não é para sacralizar as informações do documentário, vamos exercitar a crítica! Tem um monte de informação bacana mas é preciso relativizar, ou seja, nem tudo é simples assim. O filme não aborda, por exemplo, a complexidade das referências que nós vivemos na nossa história e os nossos referenciais de beleza (mães, pais, experiências de vida) ou ainda a imposição da beleza midiatizada e dos ícones de cada tempo. Ou seja, as informações do documentário são ótimas e muito curiosas, mas não é a única forma de enxergar o que é bonito ou feio, afinal, quem ama o feio, bonito lhe parece. Veja o documentário abaixo, divido em partes…

Jeans sob medida à distância de um clique

Publicado em

O jeans é praticamente um patrimônio mundial da moda. Considerado por muitos um produto de “anti-moda”, já que é feito para durar mais do que as coleções, ele faz a cabeça de jovens e adultos de várias partes do mundo. Esses dias estava assistindo ao GNT e vi o excelente documentário sobre o assunto chamado “Paixão por Jeans“. A obra audiovisual aborda a história da peça, a retomada de produções artesanais bem como a busca por peças antigas, as novas tendências, como fazer um jeans sustentável, sua indústria e até aspectos sociais, como o envolvimento do jeans com movimentos de música e de comportamento jovens ao longo do tempo.

O filme mostra que no escritório da Levis, em San Francisco (EUA), uma das marcas mais antigas e populares de jeans do mundo mantém um museu e mostra seu xodó: uma peça de 1879. É o mais perto que a marca americana conseguiu chegar do primeiro par da peça como a conhecemos, patenteada por Levi Strauss em 1853 e adotada na época por trabalhadores de minas e rancheiros. O autor do livro “Jeans: A Cultural History of an American Icon”, James Sullivan, também aparece no vídeo e chama a atenção para o patamar que a peça, antes vestuário para trabalhadores braçais, alcançou nos últimos anos entre as grandes grifes.

Outra curiosidade trazida pelo documentário diz respeito à ajuda na busca pelo jeans ideal para o formato do corpo de cada consumidor. Esse serviço pode ser feito online, através do site http://www.zafu.com. Lá é preciso responder um questionário sobre seu corpo, o que é importante para você em um jeans, quais os pontos que você quer ressaltar ou disfarçar, qual sua marca favorita e outros detalhes importantes. Aí o site sugere uma opção ideal para o seu corpo e gosto, além do preço e do link para adquirí-lo! É um clássico do vestuário se modernizando aos novos tempos. PS: O site é em inglês!

Figurinos de filmes são tema de mostra em JPA

Publicado em

Sabe aquela mágica relação entre figurino e seus personagens, relação que rende até Oscar? Pois esse é o tema de uma atividade de férias do curso de Produção de Moda da Funetec, em João Pessoa. O evento começa amanhã (05/07) e vai acontecer nas terças e quintas deste mês pela manhã. Serão exibidos e debatidos alguns filmes incríveis. É, sem dúvida, uma ótima oportunidade para ver, ouvir e comentar cinema e figurino fora do senso comum. O evento é organizado pela turma 2011.1 de Produção de Moda e vai rolar pela manhã, das 8h às 12h, com entrada gratuita. Passa lá! A Funetec fica na rua das Trincheiras, 275 – Centro de João Pessoa – Próximo à Igreja de Lourdes e ao NAC, por trás do Teatro Lima Penante, bem pertinho da Avenida João Machado já. Pra facilitar, olha aqui o endereço no google maps.

 

 

%d blogueiros gostam disto: