Assinatura RSS

Arquivo da tag: Estação da Moda

Revista DaModa inova nos editoriais e traz a cidade de João Pessoa para o universo fashion

Publicado em

capa das revistas

O post de hoje tem dois objetivos: divulgar a revista DaModa e apresentar o meu mais recente artigo acadêmico, que foi sobre a publicação. A revista é uma publicação eletrônica vinculada à Estação da Moda, órgão responsável por promover a moda e capacitar pessoas para trabalharem na área. Ele é financiado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, bem como a revista.

Eu me apaixonei pela publicação desde a primeira edição, lançada em setembro de 2012 e disponibilizada gratuitamente ao público através do site Issu.com. Com linha editorial voltada para o conceito e a cultura de moda, ela não está vinculada às bobagens que aparecem na maioria das revistas da área: tem conteúdo profundo e editoriais lindos (também, com tantos fotógrafos talentosos e produtores de moda dedicados, não tinha como dar outra coisa).

Então parti para uma análise acadêmica dos editoriais de moda da revista, afinal de contas não tem coisa melhor no mundo do que juntar trabalho e prazer. Intitulado “João Pessoa Chique: A Cidade como Referência de Identidade nos Editoriais da Revista DaModa“, o artigo foi aceito para apresentação e publicação no principal congresso de Comunicação da América Latina, o Intercom. Este ano o evento acontece de 4 a 7 de setembro, em Manaus. Quem tiver interesse de ler, basta baixar o arquivo abaixo em pdf. 😉

Revista 2 Editorial São Francisco Revista 2 Editorial Praia Revista 1 Editorial 2 Feira Editorial 1 Revista Da Moda 1 Conventinho

Resumo do artigo:

Com base na análise de seis editoriais da revista DaModa, publicação online financiada pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, o trabalho observa como a urbanidade da capital paraibana foi usada para fortalecer a identidade local do cidadão pessoense. Utilizando pontos turísticos ou culturais da região, a publicação constrói um ideal de beleza baseado na estética de luxo característica dos editorias de moda para mostrar que é possível inspirar peças de roupa e imagens de moda baseadas nessas referências urbanas. Para isso ela faz um recorte da realidade e filtra os elementos retratados que colaboram para a construção desses referenciais imagéticos.

Para download clique no link: Artigo Intercom Manaus 2013

Curso de criação de moda será oferecido de graça em João Pessoa

Publicado em

A Estação da Moda – CVT, vinculada à Prefeitura Municipal de João Pessoa, irá promover uma Oficina intitulada de “Inventando Moda”. Segundo o blog da instituição, o objetivo é estimular nos participantes um olhar crítico, independente e ousado na criação de um estilo pessoal, que reflita sua maneira de ver se relacionar com o mundo, a partir de seu ambiente mais imediato – da sua casa, da sua rua, seu bairro – como uma tradução da sua identidade. O exercício de “inventar moda” significa exercitar a criatividade, através da busca pelo (re)conhecimento de sua cultura, sua história, seus desejos e sonhos reais.

Esse curso vem colaborar com o grande movimento de formação e crescimento da indústria da moda que o Estado passa nos últimos tempos. Quem gosta do setor, tem que aproveitar a onda para se capacitar e entrar nesse mercado com o pé direito.

Mais informações:

Dias: Terças e quintas;
Horário: 14:00 às 17:00
Instrutora: Simone Araújo
12 vagas.

Pré-requisito: A partir de 15 anos;

Data de início: divulgada posteriormente de acordo com a formação da turma. Não há reserva de vagas.

Para se inscrever, basta ir na Estação da Moda, no Varadouro, em João Pessoa, em frente à Estação Ferroviária, e levar as xerox do RG, CPF, foto e comprovante de residência. Mais informações: 3218.6160.

Conheça os vencedores do concurso de novos estilistas e veja fotos dos bastidores

Publicado em

Foi com muita honra e alegria que fui convidada para ser jurada do segundo Fashion Tech  – Concurso de Novos Estilistas organizado pela Estação da Moda e Prefeitura Municipal de João Pessoa. A seleção foi difícil e o nível dos concorrentes surpreender, como revelou a jurada e convidada de honra desta edição do evento, a estilista Fernanda Yamamoto. “Os trabalhos estão muito bons, vai ser um páreo duro escolher os vencedores”, disse em conversa informal durante os bastidores do evento.

Na minha opinião, essa foi uma missão extremamente prazerosa e difícil. É uma responsabilidade muito grande julgar trabalhos que envolvem tanto amor e dedicação dos candidatos. Ainda bem que a missão era dividida entre cinco pessoas que julgaram com base me diferentes critérios. Ao mesmo tempo que fico muito feliz com o resultado, fico com medo de desestimular de alguma forma as pessoas tão talentosas que ficaram de fora da lista de vencedores, mas que merecem todos os méritos pelo trabalho desenvolvido.

Eu já sabia, claro, do resultado do concurso desde a semana passada, só que ele foi divulgado oficialmente ontem por isso trago hoje e compartilho com vocês. Quem levou o primeiro lugar foi o surpreendente trabalho de José Alberto de Arruda Segundo, de apenas 18 anos. Inspirada em origamis e doces, o estudante de design gráfico criou uma coleção intitulada Candy Craft. Os segundos e terceiros lugares ficaram com as talentosas designers de moda Gabriela Muniz Barbosa e Rafaella Sousa de Oliveira,respectivamente. Também foi concedida uma Menção Honrosa a Rivaldo Paiva, pela coleção inspirada em elementos da história e da cultura paraibana, um trabalho de pesquisa intensa que deixou todos da banca de boca aberta.

No mais, foram dois dias intensos, com direito à palestra de Fernanda Yamamoto (que já foi assunto aqui do blog) e uma confraternização com gente muito querida no Empório Café.

Informações do blog do Fashion Tech:
Alberto e a peça vencedora
Com uma criação minimalista e capricho a todos os detalhes da coleção, José Alberto ganhou o júri, que o classificou como muito talentoso e detalhista. Para o jovem, o primeiro lugar foi uma grande surpresa, pela pouca – ou nenhuma – experiência na área. “Eu realmente não esperava. Confiei um pouco no meu trabalho, mas não acreditava que estava no nível de um concurso como esse. Praticamente todos os meus concorrentes já estudaram ou ainda estudam moda e até o dia em que me inscrevi no concurso toda a minha experiência nessa área não passava de algumas ilustrações, croquis, que eu fazia sem qualquer pretensão”, disse José Alberto.
Para o diretor da Estação da Moda, Romero Sousa, esta edição foi marcada, sobretudo, pelo talento dos participantes: “Quando a gente se depara com um candidato que encara e vence uma premiação desse nível, transmitindo o conceito de moda de forma plena e com uma bagagem formada apenas pelo talento, conseguimos dimensionar o valor e o poder dos talentos perdidos que temos por aí e como é importante criar meios para desenvolvê-los. E é exatamente isso que a Estação da Moda, por meio do FashionTech vem fazendo”.
Nos próximos meses, Alberto vai desenvolver uma coleção completa (composta por 30 looks), cujo material, equipamentos e equipe técnica para produção e execução das peças serão cedidos pela Estação da Moda. No final do ano, todas as peças criadas pelo estilista estarão reunidas num desfile também promovido pela Estação da Moda. “Tenho muito desafio pela frente, já que não entendo nada de corte e costura. Ainda por cima, a coleção é de difícil execução porque apresenta muitos recortes, dobraduras e cortes a mãos”, ressaltou.  O ganhador ainda terá a oportunidade de fazer uma visita técnica ao Senai/ Cetiqt, no Rio de Janeiro (RJ).
As designers de moda, Gabriela Muniz e Rafaela Souza, também foram premiadas com um notebook e um tablet, respectivamente. A primeira desenvolveu a coleção “Anos Dourados”, inspirada nos Anos 50, enquanto Rafaela teve como inspiração o grafismo de uma tribo indígena do Amapá. A coleção foi chamada “Kusiwa”.
Homenagem à Paraíba rende Menção Honrosa – Com a coleção “Linhas do Tempo”, o estudante de Letras com habilitação em Francês, Rivaldo Paiva, ganhou uma menção honrosa do júri. “A coleção conta um pouco a história da Paraíba desde a época dos canaviais, misturando um pouco os nossos costumes e cultura, além de pontos turísticos. Acho que consegui promover uma releitura do passado, com o presente e o futuro do Estado”, afirmou Rivaldo.
Ele conta que aproveitou o período de greve da Universidade Federal da Paraíba para criar a coleção. “Foi muito gratificante participar de todos os processos. Foi a primeira vez que participei de um concurso então essa Menção Honrosa é muito bem vinda”, comemorou o estudante de 20 anos.
FashionTech – Este ano, 28 trabalhos foram inscritos na 2ª edição do FashionTech e dez candidatos selecionados para concorrer a etapa final do concurso. Cada participante escolheu um dos croquis para ser executado e apresentado nesta etapa. As apresentações aconteceram nos dias 4 e 5 de julho, na sede da Estação da Moda. Participaram como jurados desta edição a estilista Fernanda Yamamoto, o professor de Sociologia da UFPB, Adriano de Leon, a jornalista especialista em moda, Agda Aquino, a gerente técnica da Modateca da Universidade de Pernambuco, Ana Rita Peroba e o diretor da Estação da Moda Romero Sousa.
Veja Também:

Novo concurso de estilistas é aberto em João Pessoa

Veja o resultado da primeira edição do FashionTech

Processo criativo é tema da palestra da estilista Fernanda Yamamoto em JPA

Publicado em

O evento mais aguardado da semana no mundo fashion pessoense aconteceu ontem à noite. Foi a palestra da estilista Fernanda Yamamoto, de São Paulo, no auditório do Sebrae. Fechado para convidados, o espaço estava repleto de estudantes e profissionais de moda que se deliciaram com as dicas da profissional conhecida pela criatividade e inovação. Foram mais de duas horas de encantamento sobre um processo que começa sempre em um mergulho nas referências, passa obrigatoriamente pela elaboração do tecido e cai de cabeça em experimentações e modelagens fora do comum. Trilhando o caminho limítrofe entre o conceitual e o comercial, Fernanda demonstra a simplicidade e humildade típica dos sábios em suas artes e afirma: “o resultado é 99% transpiração e 1% inspiração”.

Se você não esteve por lá e quer conhecer um pouco mais sobre o trabalho dessa criadora, eu trago aqui hoje alguns dos melhores momentos da palestra, pontuado também por observações de quem está tendo o prazer de conviver um pouco mais com ela – já que sou jurada do concurso FashionTech da Estação da Moda ao lado dela. No evento ela traçou um panorama do seu processo de criação de quatro coleções passadas até chegar a mais atual, destacando que esse é o processo que ela segue e que não pode funcionar como uma regra, cada um tem que construir o seu jeito. A estilista contou que o seu processo de criação não é linear e muitas etapas acontecem paralelamente e às vezes “de um erro sai um acerto”. Vamos aos detalhes?

Verão 2011

Fernanda contou do seu olhar diferenciado sobre a cidade de São Paulo, que serviu de inspiração para esta coleção. Ela enxergou a cidade de forma poética e buscou nos elementos e nas ruas da cidade a leveza, a delicadeza e ao mesmo tempo a densidade da maior cidade do país. Paralelamente à essas referências, ela foi buscar uma de suas técnicas preferidas de tecelagem, a feltragem. Nas suas buscas sobre a origem do tecido, começou a compor a própria matéria prima para a confecção da coleção. Tratou, tingiu e compôs a lã manualmente num processo que intitulou de “maquetes têxteis”, construindo um tecido inspirado nos telhados e na vista aérea da cidade de São Paulo. “Cada metro de tecido feito nesse processo manual leva cerca de dois dias para ficar pronto”, contou a estilista, que diz curtir cada etapa do processo e aprimorar as técnicas a cada experiência.

Inverno 2011

Desta vez inspirada no círculo – símbolo secular carregado de significados em todos os povos da humanidade, a coleção veio carregada de simplicidade e deu continuidade ao processo desenvolvido anteriormente com a feltragem. Para dar uma nova cara o tecido, resolveu acrescentar uma outra técnica secular ao processo, a arte japonesa de fazer papel de arroz manualmente, chamada de Washi. “Desta vez o tecido teve mais presença da lã por ser uma coleção de inverno”, explicou Fernanda, mostrando que além de criar formas, a elaboração do tecido também é parte essencial do seu processo criativo e é carregado de significados.

Verão 2012

Nesta coleção o ponto de partida da criação foi as imagens da natureza e Fernanda trabalhou mais uma vez na construção do tecido, só que agora através de linhas que representavam raízes. Foi nesta coleção que ela incorporou um dos símbolos mais pops da cultura mundial hoje, a Hello Kitty. Mas o grande dilema dela foi como interpretar esse símbolo tão massificado de forma diferente. O caminho encontrado pela estilista foi deformar e disfarçar a imagem para que ela continuasse presente porém não de forma não evidente. “Para esse processo trabalhei com estêncil e estampas com a carinha da personagem camuflada nos tecidos”, disse Fernanda, explicando ainda que usou elementos encontrados em casa como farinha e açúcar para “distorcer” a imagem. Também foram usadas imagens das torradeiras que deixam a carinha da Hello Kitty para estampar tecidos que deram origem às peças.

Inverno 2012

O pontapé dessa coleção foi as imagens dos quadros renascentistas que ilustram a imagem de Bianca Maria Sforza. Elas decoraram a barra do tecido tecnológico criado para as novas peças que tinham o Jacar como base inspiradora, criando um tecido exclusivo para a coleção. Para incrementar outras partes de tecido listrado usados pera representar as referências ela foi buscar a técnica do silk usando um tom de ouro velho, uma verdadeira garimpagem de elementos para compor a teia das peças. “Eu gosto de manter sempre a relação com o trabalho artesanal, portanto depois do trabalho executado eu ainda acrescentei a colagem de pedrinhas – uma por uma – em algumas peças”, destacou Fernanda, explicando que foram muitas horas nesse trabalho manual que verdadeiramente diferencia uma vestimenta industrializada daquela feita a mão.

Verão 2013

A coleção mais recente da estilista, que figurou nas passarelas da última edição do SPFW, teve como tema a geometria. Para isso ela misturou duas referências que, a seu ver, foram complementares: as obras do arquiteto mexicano Luiz Barragán e do artista plástico Hélio Oiticica. Ela explicou na palestra que ambos trabalham com cores fortes e elementos que lembram as dobraduras do origami, luz e sombras. Esse foi o ponto de partida para fazer as novas maquetes têxteis, onde trabalhou com bordados em linhas brilhosas na materialização da inspiração.

A palestra foi uma verdadeira aula de moda e de criação, uma noite inspiradora, fechada com chave de ouro pelas afirmações da estilista, dizendo, entre outras coisas, que é possível continuar conceitual e criativo sem perder o lado comercial. Para isso o segredo de Fernanda Yamamoto é não se prender ao comercial durante o processo criativo, senão acaba fazendo coleção de show-room e não experimentação, que é seu foco.

Desfile marca a noite de hoje no mundo fashion pessoense

Publicado em

É chegada a hora de conhecer as peças da turma do projeto Célula de Criação da Estação da Moda, em João Pessoa. Para quem não sabe, a Estação da Moda já foi tema aqui do blog e é uma instituição mantida pela prefeitura da capital paraibana com o objetivo de promover a moda como cultura e como opção sócio-econômica para a população através de cursos, eventos e projetos na área.

O projeto Célula de Criação, especificamente, é um incentivo da Prefeitura Municipal de João Pessoa, através da Estação da Moda, para que novos talentos se mostrem na área estilística. O projeto dura 30 dias por equipe e cada equipe tem o dever de criar uma coleção de 10 looks de acordo com o tema escolhido. Os materiais e a estrutura são de responsabilidade da Estação da Moda, como também toda a assistência técnica.

Coleção Filipéia

A coleção é baseada na história do Centro Histórico de João Pessoa, que é ocupado por sobrados, praças, casarios coloniais, igrejas seculares e pavilhões de muita informação cultural, artística e social. Um dos maiores e mais importantes sítios históricos do Brasil. A coleção vai promover o encontro entre as formas arquitetônicas dos prédios históricos e a arte de rua que invadiu o local ao longo dos anos. As formas opulentas são incrementadas por estampas baseadas no “grafite”, arte que permeia todo o centro histórico, caracterizando o período pós-moderno. Esse tema me deixa muito feliz, afinal de contas sou uma espécie de historiadora frustrada e amo minha cidade, em especial a parte histórica. No ano passado, no aniversário de João Pessoa, fiz até um post dizendo que a sua urbanidade poderia inspirar belas coleções. Relembre clicando aqui.

O Evento

O evento será realizado hoje (08/06/2012 ), no Casarão 34, no centro histórico da cidade e tem como objetivo apresentar a coleção Filipéia ao público. Após o desfile será oferecido um coquetel com uma mostra de fotos do processo criativo e de um editorial feito pelo fotógrafo Bernardo Leite, mostrando nossa visão sob o Centro Histórico. As peças serão deixadas em segredo até a data, para valer a pena toda a surpresa que queremos proporcionar aos convidados!

Para saber mais clique no link para acesso ao blog da própria Estação da Moda:
http://www.fashiontechpb.com/2012/04/1-celula-de-criacao-comeca-hoje.html

Projeto leva moda para as praças de João Pessoa

Publicado em

Mais uma novidade fashion vem animar a vida urbana de João Pessoa. É o projeto Moda na Praça, lançado pela Estação da Moda, órgão que estimula o crescimento do setor na capital paraibana e é vinculado à prefeitura. A ideia é levar a moda a um grande público, divulgando a arte local e valorizando toda a cadeia produtiva. O evento será realizado entre os dias 08 e 17 deste mês (junho), na Praça do Coqueiral em Mangabeira. Uma bela oportunidade para envolver os cidadãos com o design e o estilo, mostrando que a Paraíba faz moda sim senhor e que ela pode e deve ser uma opção de saída sócio-econômica.

O projeto vai desenvolver várias ações, entre elas: oficina de customização de camisetas, salão de beleza – com foto do antes e depois, 4 stands para comercialização com marcas de diferentes segmentos, que irão expor e comercializar suas peças, desfiles aos finais de semana com coleções produzidas na Estação da Moda e de marcas locais, Stands com informações dos cursos e projetos da instituição e concurso para descobrir 2 modelos – um masculino e um feminino. Serão oferecidos ainda, em parceria com a Estação Digital e a Casa Brasil, 20 computadores com instrutores para cursos de Design Gráfico, Mídias Sociais, Acesso livre, Sala de Jogos Multimídia, Oficina de Produção Musical, DJ´s e montagem de celular.

Romero Sousa, diretor da instituição organizadora, destacou que o intuito da ação é aproximar as pessoas do mundo da moda. “É o maior evento desenvolvido pela Estação da Moda, ofereceremos serviço de beleza, qualificação e entretenimento com as diversas oficinas e cursos. Estaremos levando a moda para um grande público, divulgando a moda local e valorizando a cadeira produtiva” disse.
OUTROS PROJETOS – O  “FashionTech” é um concurso pioneiro de moda realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, através da Estação da Moda, órgão  ligado à Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitec). O objetivo é incentivar e dar visibilidade a novos estilistas na Paraíba. O ganhador da 1° edição foi Anderson George Morais com a Coleção Redes. O Concurso está na 2° edição e com inscrições abertas até dia 12/06. Para baixar o edital clique aqui.

Célula de criação tem por objetivo ser um espaço aberto para exercitar a criação de coleções. Grupos de 5 pessoas desenvolvem coleções de 10 looks inspirados na cultura local e têm consultoria criativa de Romero Sousa e técnica de Lailane Melo, designer de moda e instrutora dos Cursos de Corte, Costura  e modelagem da Estação da Moda. A primeira coleção desenvolvida inspirou-se no Centro Histórico e a segunda no Mercado Central, ambas irão ser apresentadas em desfile no evento Moda na Praça.

A Semana Estação da Moda está na 4° edição, acontece sempre no final do ano com várias atividades simultâneas, como: palestras, exposições, oficinas, workshops e debates.

Mais informações:
Estação da moda – Rua Rosario di Lorenzo, S/N.Varadouro ( Em frente a Estação Ferroviária de João Pessoa).
e-mail: estacaodamodapmjp@hotmail.com Telefone: 3218.6160
Facebook – Twitter

Outros posts relacionados:
Conheça os cursos de moda na Paraíba e algumas opções online
Novo concurso de estilistas é aberto em João Pessoa
Veja o resultado da primeira edição do FashionTech
Estilista Jum Nakao faz palestra para o público paraibano
Ganhador do FashionTech apresenta coleção na Estação Cabo Branco

Novo concurso de estilistas é aberto em João Pessoa

Publicado em

Está aberta a temporada de caça aos novos estilistas paraibanos. É a chance que muitos aspirantes ao sucesso no mundo fashion aguardavam: um concurso para mostrar a cara e o talento. E essa é a proposta do Fashiontech – dar oportunidade e visibilidade para novos criadores da moda. O concurso, que está em sua segunda edição, é promovido pela Estação da Moda, vinculada a Secretaria de Ciência e Tecnologia da Prefeitura Municipal de João Pessoa. O lançamento oficial será na próxima quarta-feira, dia 02/05, às 17h00, e as inscrições já começam no dia seguinte e vão até o dia 01/06.

O FASHIONTECH – Concurso Novos Estilistas, é um processo seletivo de coleção de moda, que tem visa incentivar novos estilistas a exercitarem e desenvolverem suas potencialidades profissionais como Designers de Moda. O objetivo é fomentar a produção cultural de criadores no Estado da Paraíba, dando visibilidade à  produção e contribuindo para a construção de uma identidade da moda paraibana. Bom né?

A 1° edição do FashionTech foi amplamente divulgada aqui pelo blog, como nesse texto aqui (afinal de contas iniciativas como essa devem ser amplamente divulgadas e valorizadas). Teve como jurado, além de profissionais com vasta experiência no mundo da moda local, o estilista Jum Nakao, que presenteou os paraibanos também com palestras e entrevistas, como vocês podem relembrar nesse post aqui.

A primeira versão do concurso teve 26 candidatos inscritos. Cada um apresentou 10 looks tomando como base o tema tecnologia artesanal, escolhido pela organização do evento. Em seguida, eles criaram mais 20 desenhos de looks e produziu uma peça, que foram novamente avaliadas até a decisão. A etapa final aconteceu nos dias 31 de agosto e 1º de setembro. Alem de Jum Nakao, também compuseram o júri o artista plástico José Rufino, a professora Margarete Almeida, o produtor de moda Pantera Costa e o diretor da Estação da Moda, Romero Sousa. No dia 09/02/2012 o ganhador Anderson George apresentou a Coleção Redes na Estação Cabo Branco, como a gente divulgou nesse post aqui.

A estilista convidada esse ano é a paulistana Fernanda Yamamoto, que será tema de um post aqui no blog dentro em breve. Informações, novidades e tudo que rola na Estação da Moda você confere no blog FashionTechpb. O edital completo do concurso você pode buscar no site da Prefeitura Municipal de João Pessoa. A Estação da Moda fica na rua Rosario di Lorenzo, S/N.Varadouro. Em frente a Estação Ferroviária de João Pessoa. email: estacaodamodapmjp@hotmail.com. Telefone: 3218.6160

%d blogueiros gostam disto: