Assinatura RSS

Arquivo da tag: PMJP

Revista DaModa inova nos editoriais e traz a cidade de João Pessoa para o universo fashion

Publicado em

capa das revistas

O post de hoje tem dois objetivos: divulgar a revista DaModa e apresentar o meu mais recente artigo acadêmico, que foi sobre a publicação. A revista é uma publicação eletrônica vinculada à Estação da Moda, órgão responsável por promover a moda e capacitar pessoas para trabalharem na área. Ele é financiado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, bem como a revista.

Eu me apaixonei pela publicação desde a primeira edição, lançada em setembro de 2012 e disponibilizada gratuitamente ao público através do site Issu.com. Com linha editorial voltada para o conceito e a cultura de moda, ela não está vinculada às bobagens que aparecem na maioria das revistas da área: tem conteúdo profundo e editoriais lindos (também, com tantos fotógrafos talentosos e produtores de moda dedicados, não tinha como dar outra coisa).

Então parti para uma análise acadêmica dos editoriais de moda da revista, afinal de contas não tem coisa melhor no mundo do que juntar trabalho e prazer. Intitulado “João Pessoa Chique: A Cidade como Referência de Identidade nos Editoriais da Revista DaModa“, o artigo foi aceito para apresentação e publicação no principal congresso de Comunicação da América Latina, o Intercom. Este ano o evento acontece de 4 a 7 de setembro, em Manaus. Quem tiver interesse de ler, basta baixar o arquivo abaixo em pdf. 😉

Revista 2 Editorial São Francisco Revista 2 Editorial Praia Revista 1 Editorial 2 Feira Editorial 1 Revista Da Moda 1 Conventinho

Resumo do artigo:

Com base na análise de seis editoriais da revista DaModa, publicação online financiada pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, o trabalho observa como a urbanidade da capital paraibana foi usada para fortalecer a identidade local do cidadão pessoense. Utilizando pontos turísticos ou culturais da região, a publicação constrói um ideal de beleza baseado na estética de luxo característica dos editorias de moda para mostrar que é possível inspirar peças de roupa e imagens de moda baseadas nessas referências urbanas. Para isso ela faz um recorte da realidade e filtra os elementos retratados que colaboram para a construção desses referenciais imagéticos.

Para download clique no link: Artigo Intercom Manaus 2013

Anúncios

Curso de criação de moda será oferecido de graça em João Pessoa

Publicado em

A Estação da Moda – CVT, vinculada à Prefeitura Municipal de João Pessoa, irá promover uma Oficina intitulada de “Inventando Moda”. Segundo o blog da instituição, o objetivo é estimular nos participantes um olhar crítico, independente e ousado na criação de um estilo pessoal, que reflita sua maneira de ver se relacionar com o mundo, a partir de seu ambiente mais imediato – da sua casa, da sua rua, seu bairro – como uma tradução da sua identidade. O exercício de “inventar moda” significa exercitar a criatividade, através da busca pelo (re)conhecimento de sua cultura, sua história, seus desejos e sonhos reais.

Esse curso vem colaborar com o grande movimento de formação e crescimento da indústria da moda que o Estado passa nos últimos tempos. Quem gosta do setor, tem que aproveitar a onda para se capacitar e entrar nesse mercado com o pé direito.

Mais informações:

Dias: Terças e quintas;
Horário: 14:00 às 17:00
Instrutora: Simone Araújo
12 vagas.

Pré-requisito: A partir de 15 anos;

Data de início: divulgada posteriormente de acordo com a formação da turma. Não há reserva de vagas.

Para se inscrever, basta ir na Estação da Moda, no Varadouro, em João Pessoa, em frente à Estação Ferroviária, e levar as xerox do RG, CPF, foto e comprovante de residência. Mais informações: 3218.6160.

Processo criativo é tema da palestra da estilista Fernanda Yamamoto em JPA

Publicado em

O evento mais aguardado da semana no mundo fashion pessoense aconteceu ontem à noite. Foi a palestra da estilista Fernanda Yamamoto, de São Paulo, no auditório do Sebrae. Fechado para convidados, o espaço estava repleto de estudantes e profissionais de moda que se deliciaram com as dicas da profissional conhecida pela criatividade e inovação. Foram mais de duas horas de encantamento sobre um processo que começa sempre em um mergulho nas referências, passa obrigatoriamente pela elaboração do tecido e cai de cabeça em experimentações e modelagens fora do comum. Trilhando o caminho limítrofe entre o conceitual e o comercial, Fernanda demonstra a simplicidade e humildade típica dos sábios em suas artes e afirma: “o resultado é 99% transpiração e 1% inspiração”.

Se você não esteve por lá e quer conhecer um pouco mais sobre o trabalho dessa criadora, eu trago aqui hoje alguns dos melhores momentos da palestra, pontuado também por observações de quem está tendo o prazer de conviver um pouco mais com ela – já que sou jurada do concurso FashionTech da Estação da Moda ao lado dela. No evento ela traçou um panorama do seu processo de criação de quatro coleções passadas até chegar a mais atual, destacando que esse é o processo que ela segue e que não pode funcionar como uma regra, cada um tem que construir o seu jeito. A estilista contou que o seu processo de criação não é linear e muitas etapas acontecem paralelamente e às vezes “de um erro sai um acerto”. Vamos aos detalhes?

Verão 2011

Fernanda contou do seu olhar diferenciado sobre a cidade de São Paulo, que serviu de inspiração para esta coleção. Ela enxergou a cidade de forma poética e buscou nos elementos e nas ruas da cidade a leveza, a delicadeza e ao mesmo tempo a densidade da maior cidade do país. Paralelamente à essas referências, ela foi buscar uma de suas técnicas preferidas de tecelagem, a feltragem. Nas suas buscas sobre a origem do tecido, começou a compor a própria matéria prima para a confecção da coleção. Tratou, tingiu e compôs a lã manualmente num processo que intitulou de “maquetes têxteis”, construindo um tecido inspirado nos telhados e na vista aérea da cidade de São Paulo. “Cada metro de tecido feito nesse processo manual leva cerca de dois dias para ficar pronto”, contou a estilista, que diz curtir cada etapa do processo e aprimorar as técnicas a cada experiência.

Inverno 2011

Desta vez inspirada no círculo – símbolo secular carregado de significados em todos os povos da humanidade, a coleção veio carregada de simplicidade e deu continuidade ao processo desenvolvido anteriormente com a feltragem. Para dar uma nova cara o tecido, resolveu acrescentar uma outra técnica secular ao processo, a arte japonesa de fazer papel de arroz manualmente, chamada de Washi. “Desta vez o tecido teve mais presença da lã por ser uma coleção de inverno”, explicou Fernanda, mostrando que além de criar formas, a elaboração do tecido também é parte essencial do seu processo criativo e é carregado de significados.

Verão 2012

Nesta coleção o ponto de partida da criação foi as imagens da natureza e Fernanda trabalhou mais uma vez na construção do tecido, só que agora através de linhas que representavam raízes. Foi nesta coleção que ela incorporou um dos símbolos mais pops da cultura mundial hoje, a Hello Kitty. Mas o grande dilema dela foi como interpretar esse símbolo tão massificado de forma diferente. O caminho encontrado pela estilista foi deformar e disfarçar a imagem para que ela continuasse presente porém não de forma não evidente. “Para esse processo trabalhei com estêncil e estampas com a carinha da personagem camuflada nos tecidos”, disse Fernanda, explicando ainda que usou elementos encontrados em casa como farinha e açúcar para “distorcer” a imagem. Também foram usadas imagens das torradeiras que deixam a carinha da Hello Kitty para estampar tecidos que deram origem às peças.

Inverno 2012

O pontapé dessa coleção foi as imagens dos quadros renascentistas que ilustram a imagem de Bianca Maria Sforza. Elas decoraram a barra do tecido tecnológico criado para as novas peças que tinham o Jacar como base inspiradora, criando um tecido exclusivo para a coleção. Para incrementar outras partes de tecido listrado usados pera representar as referências ela foi buscar a técnica do silk usando um tom de ouro velho, uma verdadeira garimpagem de elementos para compor a teia das peças. “Eu gosto de manter sempre a relação com o trabalho artesanal, portanto depois do trabalho executado eu ainda acrescentei a colagem de pedrinhas – uma por uma – em algumas peças”, destacou Fernanda, explicando que foram muitas horas nesse trabalho manual que verdadeiramente diferencia uma vestimenta industrializada daquela feita a mão.

Verão 2013

A coleção mais recente da estilista, que figurou nas passarelas da última edição do SPFW, teve como tema a geometria. Para isso ela misturou duas referências que, a seu ver, foram complementares: as obras do arquiteto mexicano Luiz Barragán e do artista plástico Hélio Oiticica. Ela explicou na palestra que ambos trabalham com cores fortes e elementos que lembram as dobraduras do origami, luz e sombras. Esse foi o ponto de partida para fazer as novas maquetes têxteis, onde trabalhou com bordados em linhas brilhosas na materialização da inspiração.

A palestra foi uma verdadeira aula de moda e de criação, uma noite inspiradora, fechada com chave de ouro pelas afirmações da estilista, dizendo, entre outras coisas, que é possível continuar conceitual e criativo sem perder o lado comercial. Para isso o segredo de Fernanda Yamamoto é não se prender ao comercial durante o processo criativo, senão acaba fazendo coleção de show-room e não experimentação, que é seu foco.

Ganhe convites para palestra de Fernanda Yamamoto em JPA

Publicado em

Semana que vem a cena fashion de João Pessoa vai se agitar. É que a Estação da Moda traz à capital paraibana a estilista Fernanda Yamamoto, dentro do processo do segundo Concurso de Novos Estilistas, promovido pela instituição. Além de participar como jurada da seleção, a estilista vai conversar sobre seu processo de criação e sua carreira para uma plateia selecionada. Essa palestra será no dia 04 de julho, a partir das 19h, no auditório do Centro de Educação Empreendedora do Sebrae PB. Eu não vou perder e a cobertura completa você acompanha por aqui nos próximos dias.

Ganhe um ingresso!

O evento infelizmente será fechado para convidados (é humanamente impossível receber todos os interessados). Mas a boa notícia é que o blog levará mais duas pessoas junto. Então, quer entrar para o grupo seleto de pessoas que irão participar do evento? Para isso basta deixar um comentário aqui no blog dizendo que quer ir. Na terça-feira, dia 03, véspera do evento, eu vou sortear dois dos comentários através do random.org. Os comentários serão numerados a partir do mais antigo para o mais novo e não faz diferença o conteúdo (só não pode escrever bobagens, basta escrever que quer participar). O resultado será divulgado na mesma hora, também aqui nos comentários do blog. Os dois ganhadores terão seus nomes acrescentados à lista de convidados. =)

Sobre Fernanda Yamamoto
A estilista ficou conhecida principalmente pelo seu primoroso trabalho de construção de formas. Ela, que é formada em administração de empresas e pós-graduada em Direção de Criação em Moda peça FAAP, já passou por lugares como Tufi Duek e Calvin Klein. Em 2008 lançou a marca que leva seu nome e foi premiada quatro vezes consecutivas pelo Prêmio Rio Moda Hype. Em 2010 entrou para o time da SPFW a convite de Paulo Borges. Visite o site dela – www.fernandayamamoto.com.br

Veja outros posts relacionados:

Novo concurso de estilistas é aberto em João Pessoa

Veja o resultado da primeira edição do FashionTech

Estilista Jum Nakao faz palestra para o público paraibano
Ganhador do FashionTech apresenta coleção na Estação Cabo Branco
%d blogueiros gostam disto: